NADAR CERTINHO PARA QUÊ?

Achar que nadar de qualquer jeito e ganhar é suficiente?

Neste último final de semana no Facebook pessoal, o colega e Presidente da Federação Cearense, Guillermo Sanchis Gritsch, desabafou, quase que agonizando (sic):

“Uma coisa me tira o sono :
Como massificar a natação competitiva federada novamente ?
Vamos aos números :
No próximo final de semana teremos
1. Troféu Hedla Lopes infantil a sênior com 55 inscritos de 4 entidades . 
2. Festival Fcda Mirim petiz com 41 inscritos e 4 entidades
3. Festival de PARANATACAO com 85 inscritos !!!! 4 entidades ..”

Ou seja, TOTAL DE NADADORES FEDERADOS NO CEARÁ = 96 NADADORES DE MIRIM A SÊNIOR (ao menos inscritos para competir nas referidas competições).

Na minha opinião, isso poderá ser outros locais amanhã, principalmente se não cuidarmos das poucas sementes que temos! Envolve planejamento e muito, muito trabalho, traduzindo para muita, muita competência! 

E o que irá acontecer com as TOP piscinas  das Olimpíadas que foram para Manaus e Salvador?

Por outro lado, cada vez mais o esporte avança nas diversas áreas do conhecimento, investindo milhões de dólares em pesquisa, tecnologia e capacitação pessoal. A única área que o esporte de alta performance não avança é o “achismo” e “egocentrismo”!

Centros especializados de treinamento em Natação localizados em Brisbane, Colorado Springs, Tokio, Eindhoven, Tenerife, Colonia, Verona, etc… estão anos luz a frente da nossa realidade. Tive a oportunidade de estar em ao menos 4 destes centros e constatar as dificuldades que temos, e o pior,  não pela falta de dinheiro, e sim pela falta da gestão e desconhecimento, ou da gestão do conhecimento ou dos três …

Não basta passarmos uma mini temporada de 3 a 5 semanas nestes locais. Temos que ter o nosso, acessível a todos! A possibilidade de chegarmos ao menos perto deles, foi perdida, neste último ciclo olímpico com milhões em verbas disponíveis. Não restou nada para a Ciência e legado para futuros atletas e treinadores.  Uma tremenda improbidade administrativa!

Assim, profissionais, pais e clubes vêm realizando um tremendo esforço para ao menos chegar a um mínimo denominador, tentando usar recursos de Biomecânica e Fisiologia, mesmo sabendo que são “fracos” e quase obsoletos, tentando “suplementar” quase sem efeito, mas com causa.

Uma gama de profissionais, têm saído das Academias (entende-se por Cursos de Mestrado e Doutorado em Educação Física), alguns até orientados para a Natação e também fundamentados por pesquisas científicas quase que doutrinárias, mas estamos atrás, bem atrás … Não há vivência, não há experiência … há a escassez humana e a escassez material. O Treinamento e a Ciência da Natação, estão bem a frente da pesquisa, pois ao menos muitas pesquisas são realizadas com baixo material humano.

Mas pior que estar atrás nestes quisitos, é termos um segmento profissional importante da Natação, propagando natação de “qualquer maneira”, do tipo se ganha, está bom! Para que mudar? É aquela coisa “time que está ganhando não se mexe”!

Há sim, infinitas provas, de que não se nada de “qualquer jeito”! Poderia ‘dissertar” aqui centenas de argumentos didáticos, científicos, físicos e matemáticos.

Resolvi abrir meu “velho” livro do grande Doc Counsilman, o segundo dele, que não foi editado no Brasil, de 1977 – COMPETITIVE SWIMMING MANUAL for Coaches and Swimmers.

Se você profissional, não estudou Counsilman, lamento … Ele treinou Mark Spitz … Há sim, o cara agora é outro! Não, Coulsilman é o pai da Natação moderna, se você não sabe Counsilman, de que adianta aplicar HIIT ou ATR ou qualquer ABCD? E nem adianta começar por Maglischo.

No capítulo 4, Considerações Práticas da Mecânica dos Estilos, ele diz: (sic) “… A questão óbvia: “Se ele não sabe como nadou, como ele irá desenvolver uma boa técnica?”…

Por acaso, quando você coloca seu filho(a) no piano, Ballet, Inglês, o professor pode ensinar de qualquer jeito ou errado, que está bom? Nunca!  E que tal a Ginástica Artística, a Patinação no Gelo, os Saltos Ornamentais ou um esporte mais moderado como a Corrida? Vão de “qualquer jeito”?

Pois a Natação, “NÃO É DE QUALQUER JEITO”! A Natação é técnica, é ensinar corretamente os movimentos biomecânicos – quer dizer princípios físicos. A Natação é ainda mais difícil, pois é praticada no meio alheio ao que vivemos, a água. Natação é NÃO CONTRARIAR OS PRINCÍPIOS DA FÍSICA!

Justificar,  por exemplo, esta tese com a mecânica  “ruim” da braçada de Allan Bernard, é um engano.

alan 1

O grande nadador francês, Allan Bernard, sim,  foi recordista mundial dos 100m livre e primeiro homem a baixar de 47s, com 46s94,   e dos 50m livre, com 21s50, marcas realizadas respectivamente em 23 de abril de 2009 em Montpellier e 23 de março de 2008, em Eindhoven, portanto fora das Olimpíadas.

Embora tenha perdido seu Recorde Mundial dos 100m, em 11 de agosto de 2008, na final olímpica do revezamento 4 x 100 m, para australiano Eamon Sullivan que cravou 47s24 e que, baixaria ainda mais para 47s05, em 13 de agosto de 2008, nas semifinais dos 100 m, no dia seguinte,  Bernard tornou-se campeão olímpico dos 100m livre com 47s21, diante do recordista mundial, que não repetiu as marcas dos dias anteriores, e fez  47s32.

 

Sullivan teve um nado excepcional, melhor que o de Bernard e provou, quebrando 2x o recorde mundial. Bernard viria a recuperar o recorde mundial novamente em 23 de abril de 2009 que depois no Mundial de Roma, foi quebrado por César Cielo e perdura até hoje com 46s91 com o uso de traje tecnológico. Sullivan abandonou a natação por causa de uma lesão.

89519589

Sim, Bernard por um período foi imbatível, durante seus recordes mundiais, mas os perdeu rápido!  O francês provavelmente é um dos nadadores mais fortes fisicamente da história, o que também gerou certa vantagem na época, porém um australiano e um brasileiro o derrotaram mais a frente novamente.

 

Olimpíada é diferente, muito diferente … ganha quem erra menos … Ganhar foi mérito, circunstância, momento, preparação, é estar fora da curva! Mas porque ganhou, não significa necessariamente um padrão, técnica …

Natação não é de qualquer jeito!  Natação é SIM, padrão de movimento, é TÉCNICA SIM , é ESPORTE CÍCLICO, É PROPULSÃO, é 3a. e 4a. LEI DE NEWTON, é VELOCIDADE INTRACÍCLICA, é DPS, é “STROKE INDEX”!

SABEM QUEM GANHA UMA PROVA INTERNACIONAL? Engana-se quem pensa que é o mais forte, o mais treinado !

GANHA AQUELE QUE É MELHOR TECNICAMENTE! O NADADOR QUE CHEGA NA FRENTE É O QUE TÊM O MELHOR APROVEITAMENTO BIOMECÂNICO!

GRAFICO 200

Propagar a NATAÇÃO de QUALQUER JEITO, é rasgar toda a literatura, anos e anos de estudos, fechar Universidades e Pós-Graduações. É DESconhecer a evolução técnica e biomecânica de Phelps desde 2004 a 2016, é não saber da evolução técnica e biomecânica do Thorpe, é não reconhecer as grandes variações técnicas do peito desde Sidney 2000!

Variações mecânicas de acordo com a individualidade, SIM, MAS NÃO SE GANHA NADANDO ERRADO!

PORTANTO SRS. VAMOS ENSINAR A MELHOR TÉCNICA! CHEGA DE COPISMO!

Se quisermos ter um futuro internacional, nossas criancinhas têm de aprender fundamentos técnicos e não “simplesmente nadar de qualquer jeito”!

Se quisermos ter um futuro internacional, precisamos estudar e rever conceitos e principalmente SABER DISCERNIR O QUE É INFORMAÇÃO E O QUE É CONHECIMENTO!

PRÓXIMA CLÍNICA GOLD

GOLD BRASÍLIA DE 18 A 21 DE JULHO

goldaltaperformance.com

 

Um comentário sobre “NADAR CERTINHO PARA QUÊ?

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.